geovana alves.

ii.

meus choros mais fortes são aqueles que apenas ardem no meu rosto e não soltam uma lágrima sequer.

são os mais amedrontados, mas também os mais felizes, creio. me dizem aonde cheguei, me permitem ver o que uma das minhas mais queridas amigas chamou de “galáxia se expandindo”.

pode uma lágrima brilhar, mesmo ela ainda não tendo visto a luz aqui fora?

eu a escuto e a vejo cair aqui dentro.

--

--

i.

eu existo.

parece simples, mas não é. não tem sido nos últimos 23 anos e nem falo sobre as consequências ou os fatos do existir. falo das circunstâncias. do âmago. do que sinto e considero ser a existência.

há pouco tempo que passei a pensar nisso. antes, existir era…

--

--

geovana alves.

geovana alves.

❈ befriending the lyrical loneliness. 25 anos, escritora e pesquisadora passante no cerrado do goyaz.